INTELIGÊNCIA EMOCIONAL DAS CRIANÇAS

27/06/2016 23:55

Um termo relativamente novo que está sendo utilizado para entender determinadas atitudes das crianças é a INTELIGÊNCIA EMOCIONAL. Muitas vezes os pais não sabem ou não conseguem ensinar seus filhos pequenos, em especial na primeira infância (0 a 5 anos), a entender, controlar e até canalizar suas emoções.

A habilidade adquirida nessa prática pode gerar muitos benefícios no futuro, principalmente no que diz respeito à alimentação, uma vez que nosso relacionamento com a comida está diretamente ligado ao nosso estado emocional e experiências familiares. Quando um pai ou mãe utiliza uma guloseima como “barganha” com seu filho essa criança começa a associar a comida como “recompensa” e cria uma imagem errada desse alimento. Grande parte dos casos de obesidade infantil decorrem do sentimento de falta de tempo/atenção dos pais, que acabam oferecendo a seus filhos alimentos altamente calóricos e pobres em nutrientes, como salgadinhos, doces e biscoitos etc.

Os pais são as primeiras referências dos filhos e por isso devem servir de exemplo para os pequenos, afinal de nada adianta os adultos se alimentarem de junk food e exigirem que as crianças se alimentem adequadamente se não houver esse hábito dentro de casa.

Consideramos nosso intestino como um “2º cérebro”, pois ele é o único órgão capaz de funcionar de forma totalmente independente do SNC (Sistema Nervoso Central). Portanto é óbvia a relação entre intestinos saudáveis e a sensação de auto-estima e confiança. A alegria e inteligência emocional de que tanto precisamos para viver bem realmente começam a partir do intestino.

Uma alimentação rica em frutas frescas, legumes, hortaliças e cereais integrais fornece as fibras necessárias para um bom funcionamento intestinal e consequentemente boa produção de neurônios.